15 de janeiro de 2019
Os Pilares da Terra - o épico de Ken Follett


Os Pilares da Terra, livro publicado em 1989, por Ken Follett, apresenta como pano de fundo o contexto histórico medieval de um período conhecido na história da Inglaterra como "A Anarquia". Chamado assim, porque, após a morte do rei Henrique, em 1135, não havia um filho varão que pudesse herdar o trono. Contudo, ele fizera todos os nobres do país jurarem fidelidade a sua filha, Matilde, o problema é que ela era uma mulher e casada com um francês, por causa disso, a grande maioria dos lordes foi para o lado de seu primo, Estevão de Blois, e o coroaram rei, expulsando Matilde e sua família da Inglaterra. Condenando, assim, os lordes que mantiveram seu juramento como traidores e iniciando um período de extremo terror para os pobres e impunidade para os ricos que durou cerca de quatorze anos, embora os conflitos armados, disputas e desordem tenham perdurado até 1170.

“Ter fé em Deus não significa ficar sentado sem fazer nada. Significa crer que se terá sucesso se se fizer o melhor possível, sincera e energicamente.”

A narrativa de Os Pilares da Terra se passa nesse momento, acompanhando quatro protagonistas ao longo dos anos e entrelaçando suas vidas e desventuras. Além da questão da guerra, que afeta a todos, o grande foco aqui é a construção da monumental catedral da cidade de Kingsbridge, sendo este o ponto de convergência entre todas as personagens. Nossas protagonistas são: Tom Construtor, o idealizador da catedral; Prior Phillip, um monge temente a Deus, mas que não se deixa enganar e fará de tudo para ver a catedral construída; Jack, um jovem órfão de pai, criado pela mãe na floresta, muito inteligente e com um passado misterioso; e Aliena, a filha de um dos nobres acusados de traição, que vê sua vida mudar completamente e terá de ser muito forte para superar as adversidades e recuperar a honra da família.


A história começa com a primeira protagonista, Tom Construtor, um homem forte e excelente em sua profissão que, porém, não tem muita responsabilidade, ou mesmo sabedoria. Seu sonho é construir uma catedral desde a base até o fim. Ele não se contenta com sua vida simples e vê as catedrais de seu tempo como edifícios hediondos. Tom quer construir uma catedral bela e que possa tocar o céu. Ele, todavia, não está sozinho: sua mulher está grávida e eles tem mais dois filhos. Após uma discussão com o nobre William Hamleigh, um dos antagonistas da trama, Tom e sua família ficam desabrigados, sem emprego, sem nada. Na floresta, eles encontram  Jack e sua mãe, Ellen, ambos pessoas deveras misteriosas e intrigantes, pois, a despeito de sua vida rústica e errante, são cultos, sabem ler e escrever em inglês e francês, sendo por isso motivo de muita desconfiança para a família, afinal, na Idade Média, uma mulher letrada que não fosse religiosa ou nobre, era automaticamente considerada feiticeira.

Um pequeno adendo: o período histórico retratado em Os Pilares da Terra é chamado também de “Período Trílingue”, isso porque os pobres falam inglês, os nobres, francês, e os padres, o latim. Desse modo, Ellen e Jack surpreendem a todos por saberem francês. A leitura e a escrita também era rara até mesmo entre os nobres.

Após o encontro, Tom e sua família partem mais um vez e andam diversas milhas, entram em várias cidades, mas nada de emprego. Eles voltam a floresta e sua esposa acaba dando a luz lá, morrendo por causa do esforço e da desnutrição. Nosso protagonista, desesperado e infeliz toma uma decisão comum para a época: abandona a criança, uma vez que não teria condições de alimentá-la e ela morreria de qualquer maneira
Surpreendentemente, ele se reencontra com Ellen e Jack. A mulher lhe diz que seu bebê foi levado por um padre para o monastério próximo dali. Eles vão até lá, veem que a criança está mais segura entre os religiosos e Tom decide deixá-la mais uma vez. Ellen, sendo a mulher decidida e a frente de seu tempo que é, diz a Tom que quer ser sua mulher, eles se unem e partem mais uma vez para as estradas a fim de encontrar trabalho.
Essa família disfuncional e fora dos padrões da Idade Média anda muito! E quando estão quase desistindo de tudo, Tom finalmente consegue emprego no castelo do conde de Shiring. Lá, Jack conhece Aliena, a filha do conde, e apaixona-se por ela, mesmo sendo ele um garoto e ela, uma moça de dezessete anos.
Quando a família estava pensando em se estabelecer, vem mais um golpe duro do destino: o conde é acusado de traição, perde todos os seus bens, seu título e é enviado para as masmorras do rei. Sua cidade, Shiring, é massacrada, logo, Tom e sua família começam uma nova peregrinação.
Enquanto isso, lá no mosteiro onde o bebê de Tom será criado, conhecemos o Prior Phillip, um bom monge, ambicioso sem ser inescrupuloso. Ele quer servir a Deus da melhor maneira possível. Entretanto, algumas de suas escolhas afetarão, ao mesmo tempo, positiva e negativamente as vidas das demais personagens. Por causa de uma delas, ele torna-se inimigo de William Hamleigh e do Bispo Waleran, estes dois serão os maiores opositores da construção da catedral e farão de tudo para acabar com o Prior Phillip.
Ao mesmo tempo, vemos o desdobramento das decisões de Aliena também. A briga de Tom com William Hamleigh aconteceu porque o primeiro estava construindo uma casa que seria do segundo e de Aliena, mas a moça não quis casar-se com ele, humilhando a família do rapaz, que jurou vingança. Eles realmente conseguem vingar-se e o pai de William torna-se o novo Conde de Shiring. Infelizmente, isso não é o suficiente para o antagonista: ele violenta Aliena de todas as maneiras possíveis e a deixa ao rés do chão, a jovem, contrariando sua criação de lady, decide fazer algo para mudar sua situação e acaba prometendo ao pai moribundo que não descansará até fazer o irmão mais novo, Richard, também conhecido como "bonecão de Olinda", um conde e restaurar sua honra.
Ao longo dos anos essas personagens passam a interagir entre si e a se ajudar, pois, a catedral de Kingsbridge é importante para a prosperidade de todos, enquanto isso, os antagonistas tentam a todo custo impedir o êxito de sua construção. E diga-se de passagem, a crueldade delas não tem limites... 



Com toda a certeza a narrativa criada por Ken Follett é magistral. São mais de novecentas páginas, divididas em seis partes e cada uma delas tendo entre três a quatro capítulos, que passam sem que o leitor sinta, uma vez que a narração é deveras envolvente e nos faz querer saber como nossos protagonistas estão e se tudo dará certo no final. Não há muitos momento de calmaria. Quando pensamos que tudo está bem, vem a mão do destino e lança mais uma desgraça na vida dessas pessoas, como se fosse mesmo a mão de Deus, incitada pelo Diabo, tal como na história de Jó...

Ademais, é preciso dar um crédito especial as personagens femininas da trama: todas são empoderadas e lutam contra as adversidades de seu tempo e de sua condição com muita garra e sagacidade. O ponto alto da escrita de Ken Follett é o fato dessas mulheres serem plausíveis, você realmente acredita ser possível tudo o que elas fizeram, não é nada mirabolante, apenas força de vontade mesmo e um pouco de sorte.
Sem dúvidas, a escolha do autor de trazer, apesar do contexto medieval, personagens femininas pró-ativas e inspiradoras, torna Os Pilares da Terra mais interessante e arrebatador do início ao fim. Sem falar na relação entre Aliena e Jack que fará os adoradores de romances suspirar... Por esse motivo, é fácil concluir essa leitura, apesar de suas mais de novecentas páginas, pois, o leitor só consegue parar nos poucos momentos em que aparentemente tudo está bem, logo, esta leitura está mais do que indicada a todos que gostam de dramas históricos, romances cheios de reviravoltas e, claro, a tão conhecida luta entre o bem e o mal. Nessa disputa, quem vocês acham que vence?

36 comentários:

  1. Gostei do livro e já tinha o visto antes pq amo livros do gênero medieval e toda história de Europa nesse período. Me chamou bastante a atenção sobre o sonho de Tom de construir uma catedral, eu acho elas fascinantes. A historia inicial dele é triste mas me sinto curiosa demais para saber o desenrolar desta historia. Muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Ken Follett é brilhante. Eu li Mundo Sem Fim e Coluna de Fogo, que são as continuações e te digo que vale a pena continuar a leitura. Nossa, é um show de talento e cultura. Eu comecei este seriado na Netflix mas achei melhor ler o livro. Ken Follett para mim é um espetáculo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero ler as continuações!! =D
      Ah, menina, antes de ler o livro, eu assisti a série, não recomendo ela muito não...

      Excluir
  3. Gostou muito de livro que tem como temas a história, nesse em particular quem mas me chamou atenção foi a Matilde os demais para mim ficaram como coadjuvantes, mas parece ser bem bacana. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi. Mas a Matilde só é citada mesmo, ela não tem voz na história... =/

      Excluir
  4. Amo os livros de Ken follett justamente por um ponto que você colocou no post, a presença de mulheres fortes! Amei sua crítica

    ResponderExcluir
  5. Sou doida para ler esse! Infelizmente esse ano vai ser muito corrido para mim, não sei se conseguirei ler todos os livros que quero =/

    ResponderExcluir
  6. Gosto demais de Ken Follett e já li algumas obras dele. Essa ainda não tive a oportunidade, mas espero inserí-la na minha lista em breve.

    ResponderExcluir
  7. Incrível acompanhar uma história desse período!

    Niceness Beauty

    ResponderExcluir
  8. Oi Andrea, sua linda, tudo bem?
    Nossa, que história!!! Já vi muitos elogios sobre o livro e sempre fui louca para ler, mas tinha esquecido o impacto desse enredo. Faz yempo que não não leio um livro assim. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  9. O livro é bem extenso né? Mas qualquer de Ken Follett vale a pena!
    Esse eu não li ainda e adoro ficção histórica principalmente bem narradas e quanto a disputa entre o bem e o mal, creio que o bem vence ao final, mas o mal sempre prevalece na invisibilidade esperando o momento oportuno rs
    Parabéns pela resenha tão bem construída! Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?

    Que trama incrível, sou louca para ler esse livro, inclusive ele já estava na minha lista de desejados do ano passado.
    Eu fico muito envolvida por histórias que se passam nesse período, e ainda para melhorar toda a história, tem as personagens femininas, todas empoderadas. Isso seria mais um ponto positivo para mim no enredo.

    Obrigada por compartilhar!!
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  11. Oi, eu estava mesmo muito curiosa para ler uma resenha desse livro, é ótimo saber que o livro, apesar de grande, proporciona uma leitura fluida e que traz personagens femininas com certo destaque positivo, algo que não é tão fácil encontrar em tramas ambientadas nessa época.

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Tenho esse livro faz algum tempo e até já comecei a ler, mas parei por não ser o momento. Quando a história tem muitas páginas, como nesse caso, sempre imagino que sejam cheios de detalhes e pequenos arcos que constroem todo um universo, não vejo a hora de conferir esse que o Ken criou.
    Adorei a resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Já Li muito sobre esse livro, mas não li ainda mas se não me engane já vi o filme ou um igual a esse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve ser assistido a minissérie =)
      Espero que leia o livro!

      Excluir
  14. Ei li Pilares da Terra e amei, foi uma leitura intensa, e apesar das várias páginas, nenhum pouco cansativa. O filme ainda não cheguei a ver, mas pretendo.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  15. Tenho muita vontade de conhecer as obras desse autor, devo dizer que sua resenha me deixou com muita vontade de começar por esse!
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bom?
    Um livro com um pano de fundo histórico tão bem construído, com uma narrativa magistral e com personagens femininas super bem construídas e empoderadas? Já quero! Anotei a dica e espero encarar essas mais de novecentas páginas em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem Andrea?

    Se não me engano eu li "Os Pilares da Terra" em 2011, e li em uns 4 dias de tanto que eu estava envolvido na leitura, pois esse livro é fantástico. Parabéns pela resenha e fico contente que gostou!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é mesmo frenético, né! Não dá para parar de ler! =D

      Excluir
  18. Oi querida!
    para ser sincera não conhecia a obra, mas adorei o enredo. Pra falar a verdade acho que foi a forma que você resenhou, que me deixou curiosa para saber mais sobre a história. A capa não iria me atrair muito, e para ser sincera nem a sinopse, mas pelo que estou vendo os personagens fazem um ótimo trabalho quando aparecem durante a leitura. Amei a resenha e principalmente as imagens de alguns atores, me deixou muito ansiosa para ler o livro.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você se interessou pelo livro através da resenha! Espero que possa fazer essa leitura! =D

      Excluir

Comentar leva apenas alguns segundos...Sua opinião é muito importante! =D